Notícias

14.ago.2019 RSS Senge

MP de Bolsonaro permite trabalhar quatro domingos seguidos

MP foi considerada mais uma minirreforma que prejudica trabalhadores

Que tal passar um mês inteiro trabalhando aos domingos e sem folga? É isso que autoriza a MP da Liberdade econômica do presidente Jair Bolsonaro (PSL) aprovada ontem pelos deputados federais. O artigo 67 da CLT define que os trabalhadores têm direito a 24 horas consecutivas de descanso e que uma dessas folgas deve ocorrer pelo menos uma vez no mês. Contudo, a nova regra aprovada pelos parlamentares permite que esses trabalhadores trabalhem até quatro domingos seguidos antes de folgar.

A regra podia ser ainda pior. A intenção do governo era permitir trabalhar até sete domingos consecutivos. Contudo, por intervenção da CUT, o presidente Rodrigo Maia (DEM) aceitou reduzir esse prazo para quatro.

Em outro trecho da MP se retira a “exigência” do descanso e cria “a possibilidade”, de acordo com o interesse do empregador. Outra mudança que afeta principalmente os trabalhadores do comércio e do setor de serviçõs como shoppings e supermercados acaba com o “pagamento em dobro do tempo trabalhado nesses dias se a folga for determinada para outro dia da semana”, conforme site da Câmara.

Para o deputado Marcelo Freixo (PSOL/RJ), a MP da Liberdade Econômica regulamenta mais uma etapa da precarização do trabalho.

“SOU FAVORÁVEL A MEDIDAS QUE DESBUROCRATIZEM E ESTIMULEM A ECONOMIA, PARA O PAÍS CRESCER E GERAR EMPREGOS, MAS ISSO NÃO PODE SER FEITO RETIRANDO DIREITOS DE TRABALHADORES, COMO FAZ A CHAMADA MP DA LIBERDADE ECONÔMICA”.