Notícias

14.mai.2019 RSS Senge

“Eu busco canais de diálogo”

Em visita ao Senge-PR, deputado Goura conta como adotar pauta progressista e de direitos na Alep

Por Manoel Ramires

Deputado estadual Goura participou de reunião com a direção do Senge-PR. Foto: Manoel Ramires

Deputado estadual Goura participou de reunião com a direção do Senge-PR. Foto: Manoel Ramires

Um personagem novo na política paranaense surgiu na última eleição e se firmou sem a necessidade de criar polêmicas, recorrer a palavrões ou perseguir adversários políticos. Com pouco mais de quatro meses como deputado estadual, Goura Nataraj (PDT) vem se destacando na Assembleia Legislativa do Paraná com pauta em defesa da mobilidade urbana, desenvolvimento sustentável, da agroecologia, contra os agrotóxicos e em defesa do serviço público como parcela fundamental para o progresso do Paraná. É este parlamentar que esteve na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (Senge-PR) no último dia 13 de maio para apresentar seu mandato à diretoria do sindicato e, principalmente, se colocar à disposição das reivindicações dos engenheiros.

O novato deputado era vereador em início de carreira. Eleito em 2016 com a pauta cicloativista, Goura ampliou seu repertório. “Sai da Câmara Municipal de Curitiba ‘debatendo meio fio’ para discussões mais estruturais. Agora, as ruas ficaram mais largas”, brinca. O pedetista assumiu cadeira estadual se definindo como independente. Ou seja, se coloca criticamente contra possíveis retrocessos do governo comandado por Ratinho Júnior (PSD), mas também enxerga a necessidade de um diálogo pacífico com seus colegas de Alep e com os secretários estaduais. Principalmente na área de desenvolvimento e meio ambiente.

“Nesse começo, tenho focado bastante na necessidade de manter a militância do controle social que tem sido aniquilada. Há um feroz ataque em todas as frentes”, alerta.

Goura, que preside a Comissão do Meio Ambiente, é vice na comissão do Mercosul e membro de outras cinco comissões, tem questionado algumas decisões administrativas do governador. “Há retrocessos na educação e na cultura. Eu entendo que estado inovador é aquele que busca economia criativa e não extingue uma pasta tão importante que estimula diversos setores”, pondera.

Deputado ouviu as preocupações dos engenheiros com relação ao desenvolvimento do país. Foto: Manoel Ramires

Deputado ouviu as preocupações dos engenheiros com relação ao desenvolvimento do país. Foto: Manoel Ramires

Engenharia

O deputado também demonstrou afinidade com a pauta dos engenheiros. É o caso do custo da tarifa de ônibus em Curitiba e região metropolitana. Outro ponto consiste em demandas por direitos. Recentemente, Goura recebeu engenheiros da Copel Telecom preocupados com a privatização da empresa anunciada pelo governador. Ele ainda disse que está dialogando com a Secretaria de Agricultura a respeito de fusões em serviços prestados pelo Iapar (Instituto Agronômico do Paraná), Emater (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural), Codapar (Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná) e CPRA (Centro Paranaense de Referência em Agroecologia).

“Por parte dos trabalhadores há uma preocupação por conta do enfraquecimento de suas funções. É uma continuidade do que fazia (ex-governador) Beto Richa. Eu já conversei com o secretário de Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, e ele se comprometeu a fortalecer o setor”, destacou.

Goura é autor de um projeto que busca inibir o uso de agrotóxicos na região metropolitana de Curitiba. O deputado comentou que os mercados europeus não querem consumir veneno e que o estado pode investir na agricultura orgânica e responsável ambientalmente. “A visão de meio ambiente não pode ser utilitarista, voltada para o lucro e não para a preservação”, direciona.

Ao concluir sua exposição, o deputado se colocou à disposição da entidade e dos engenheiros para ser um elo entre eles e as negociações com o governo do estado. Ele comentou que o governo do estado adiou a apreciação do projeto de lei complementar nº 4/2019 que congela direitos, mas que a Bancada dos Serviço Público quer a retirada do PL para não ser surpreendida no futuro. Goura se soma nessa união: “eu busco canais de diálogo”, sinalizou.